Uma proposição

Você já se imaginou em um outro alguém que não fosse você?
Você pensou em se vê de fora pra dentro?
Já tentou pensar no que você pensaria do seu próprio rosto se o encontrasse pela rua em outra pessoa?
Já imaginou como você é visto?
Como você se veria, não sabendo que você é quem é com essa cara.
Não conhecendo o que você tem por dentro e olhando pra você não se vendo como um todo, mas apenas pelo que o seu rosto mostra que você é?
Olhe-se no espelho e se veja!
O que você enxerga é você (seu nome) dotado não só de uma face, mas de centenas de outras coisas que te compõem. Você vê a sua história, as suas marcas, suas escolhas.
Tudo o que você enxerga vai muito além do fato de ter esquecido de fazer a barba ou de não ter feito clareamento dental esse ano.
Você se vê além…
E quando você olha uma outra pessoa?
Você consegue ver além?
Tente imaginar o que outros achariam que você se parece, ou o que você acharia de si próprio se você não fosse você…

É maluco né?
Mas fazemos isso o tempo todo. É natural. Somos superficiais quando vemos o outro, mas queremos ser vistos com profundidade, sem ter esse mesmo olhar em reciprocidade.

Talvez seja apenas humano ser assim, ou talvez, falta de prática, exercício, consciência…

Escrevi isso antes… Mas talvez a gente precise se exportar de nós mesmos algumas vezes, pra podermos nos importar com os outros…

É só uma proposição!

IMG_6329.JPG

Anúncios

Luz do sol

IMG_1063.JPG

No sábado choveu e eu não pude aproveitar a luz do sol e nem caminhar na rua. Foi um dia cinza e feio. Depois de todo dia chega a noite e nenhuma noite é iluminada e disso eu sempre soube.

Toda noite é escura! É a natureza.

Sendo a noite negra, todo sorriso que nela brilha é razão de beleza, e naquele sábado cinza e chuvoso, a noite foi difícil e bonita, como se me devolvessem no meio da madrugada o raio de sol que me roubaram de dia e em meio a tanta sombra eu vi luz.

OBRIGADA!

Minha primeira palavra do amanhecer seguinte, um obrigada ilustrado com foto de sorrisos e um obrigada de quem viu o sol da madrugada de sábado se estender pelos dias que seguiram.

Você que devolveu meu sol não foi embora para sempre, estará sempre por perto, mesmo que na memória ou na eterna gratidão de nossos corações.

Leve sempre com você o calor desses dias tão ensolarados e um pedaço, ainda que pequeno, do imenso bem que fez. Ilustre na sua memória sempre com um sorriso a lembrança de noites escuras que podem se transformar em dias de luz plena!

A vida é um caminho muitas vezes sem voltas, sem retornos, caminhamos e seguimos em frente, mas nossas trajetórias deixam lembranças, levam e trazem coisas, pessoas, aprendizados e lições, muitas lições. Aprendemos com cada uma delas como prosseguir.

Que por mais tortuosos que sejam os caminhos… Que haja luz… Que haja sol…

PS: escrito em novembro/2013 e reescrito agora!

Evolução

A conclusão é que a evolução é muito rápida!

O homem pode ter passado 90 anos dentro de uma caverna, mas no primeiro dia que ele esteve sob a luz do sol, ele enxergou mil novas coisas. E em apenas um dia foram feitas mais descobertas do que em 90 anos.
A sabedoria muitas vezes demora a vir, mas se um dia ela chega, ela é rápida, ela desperta a curiosidade e o desejo de querer mais e mais.

Sim! Uma mente que se abre não volta mais ao seu tamanho original!
A prova de que você evoluiu é se dar conta e pensar “Como eu vivi até hoje sem saber disto?!”.
As descobertas nos transformam em um alguém novo e todos os dias somos modificados.

Portanto não importa o momento.

Quando tem que acontecer ou quando acontece as mudanças vão sacudir o seu mundo e colocar todas as suas idéias de ponta cabeça. Desconstruirão seu mundo velho e erguerão das cinzas um mundo completamente novo. E novos mundos sempre virão.

20140719-222529-80729900.jpg

O menino que ganhou asas

Imagem

Fé, frio na barriga e espírito de aventura, era tudo que ele carregava no coração e era tudo o que ele demonstrava a quem superficialmente o via.

Uma cabeça como poucas que já se tinha ouvido falar naquele lugar, ele não sonhava demais, apenas realizava tudo. Não havia mais nada no mundo que fosse capaz de desacelerá-lo. Ele aprendeu voar.

Ganhava as noites e as ruas pertenciam e ele como a verdade não pertence a ninguém. Não se decifra seu sorriso e nem seu coração. Ele é um insulto a capacidade rasa de compreensão dessa gente. Ele é daqui, mas nunca pertenceu a esse lugar.

Ele se expressa através do som, da música. Ele fala, mas não só com palavras. Nem todo mundo é capaz de decifrar a alma.

Ele não! Não é só aquilo que poucos puderam ver e por trás daquilo ainda há um coração. Ele guarda para poucos, muito poucos o melhor de si.

Ainda cedo ele descobriu que a liberdade da sua mente tinha um preço, a solidão intelectual. Descobriu que quem voa muito alto, nem sempre é possível voar acompanhado.

Asas pesam muito para corpos fracos e mentes rasas.