E se “sempre” fosse só “agora”?

IMG_0141

Eu não quero pensar em pra sempre, porque o sempre é uma escolha também.
Mas eu queria que por um tempo, a gente se gostasse de um tamanho maior que os nossos medos, vaidades, egoísmos e nos esforçacessemos pra juntos sermos um pouco mais felizes, no tamanho de um sempre limitado.
Que a gente fosse capaz de sentir o mesmo amor que a gente sente pelas pessoas boas da rua, de maneira mais próxima em nós dois. Que a gente se descobrisse em águas mais profundas.
Que a gente parasse de correr na direção dos abismos que nós criamos para nos julgar salvos de tudo que incomoda o que nos acomodou.
Que fosse a gente o endereço do abrigo em que o outro encontra refúgio. Nos fízessemos de casa para que quando o outro decidisse vir morar, encontrasse a porta aberta e aos poucos trouxesse sua mobília e começasse decorar.
Eu iria explorar as palavras do vocabulário para soletrar o seu sorriso.
Eu me lembraria de parar pra olhar uma flor e enxergar nela a beleza que é existir.
Eu ia querer sentir o calor da luz do sol nos seus abraços.
Eu enxergaria o brilho da luz das estrelas no seu olhar dentro do meu.
E tudo isso eu nem espero que seja um sempre, mas que enquanto o sempre for agora, que você deixasse acontecer.
Anúncios

Deixa eu te querer

DSC_0680-001.JPG

Deixa eu te descobrir como eu descubro as palavras sobre esse papel branco
Deixa eu desnudar suas certezas e te vestir com as minhas expectativas
Eu quero seus defeitos novos e suas velhas alegrias
Quero meus dedos passeando nos seus cabelos
Quero você me sentindo por inteiro

Deixa eu te arrancar as razões e te afogar no meu infinito incerto
Vem tirar de mim essas frases presas, essas que eu nunca disse a ninguém
Vem sorrir comigo por coisas que você sempre viu e nunca reparou
Vem com esse seu jeito de menino, entra na minha história e muda meu roteiro

Eu quero ser o desapego que vai dormir no seu peito um sono sereno de quem fez ninho
Vem ser esse oposto que completa o meu gosto naquilo que eu nunca experimentei

Vem e diz que não se importa
Brinda comigo e me olha nos olhos
Invoca o meu nome, sentindo o meu cheiro, tão perto que você não consiga diferenciar onde começamos ou terminamos

Deixa meu carinho te envolver
Deixa os meus dedos te escrever
Deixa minha inspiração expirar cada tanto de você.

Um, dois e mais alguns

Uma quarta-feira à noite e poucos planos
um modo de te encontrar em algum lugar
se arruma que estou chegando.

Dois instantes pra fechar a janela
outro para pegar o elevador
um aceno que para um táxi.

Três curvas à direita e outra à esquerda
algumas luzes apagadas no túnel
mais alguns passos pra tocar o interfone.

Quatro e meia da manhã
preciso voltar antes do sol sair
fica, você disse.

Cinco segundos e parei de pensar
um sorriso e um afago em seu rosto
levanto e saio andando.

Seis botões pra fechar a roupa, a bolsa e o sapato
dois sorrisos pra selar uma despedida
saio pelo corredor.

Eu que não sei de ti

13892177_1081436328590947_8398696564189676393_n

 

Tive que reescrever versos
Trocar a cor dos tênis 
O número do andar
Eu mudei a quantidade de dias que fiquei a esperar
Alterei a oscilação entre o inferno e o céu

Vamos escrever nossas próprias canções?

A gente podia apenas começar do zero
Sem nenhum rascunho
Esquecer todas as letras do passado

Você devia acreditar que somos capazes
Letra por letra, teríamos muita história pra contar

Sabe aquela noite que eu bebi demais e adormeci no sofá?
Sabe quando você tentou me ensinar a jogar vídeo game?
Lembra quando eu chorei?
Não… Foi aquela outra vez, que parecia fazer sentido…
Você não me perguntou nada
Eu não falei nada
Seu silêncio às vezes me terapia
Às vezes minha agonia

No seu silêncio eu já chorei, já gritei, me irritei, me despedi, parti e voltei

Eu já te disse adeus mais do que você pode sonhar
Você nunca percebeu que eu quase fui
Você nunca percebeu quando me levaram
Nem sei se um dia você vai saber que eu já fui de vez

Por que você não quis vir comigo?
Se você me leva, seria leve
Como vôo de beija-flor

Eu fico embaixo do céu estrelado
Até a música parar de tocar
Até o cigarro apagar
Até a boca secar
E o frio apertar

Eu  falo a verdade
Olho nos seus olhos
Eu te fiz sentir

 

Eu aprendi a dormir tarde
E você?

Você prefere dormir pra sempre?