Obrigada Anitta

PB-00191

*Fotógrafa: Bella Tozini – Modelo Thais Barbeiro


Anitta é uma linda mulher, muito linda.
E hoje Anitta me disse ao se despedir, já saindo em direção a porta e com um sorriso no rosto que o importante é viver sempre!

Amanhã Anitta entra na segunda fase da quimioterapia, que levou seus cabelos, deixou sua saúde frágil, mas de maneira alguma tirou a sua vontade de viver
Eu não sou sua amiga, pra falar a verdade eu a conheço bem pouco, apenas de idas e vindas pelos corredores do prédio que trabalho, das poucas vindas dela na minha sala para uma hora ou outra de conversas e risadas. Sua extrema gentileza sempre me chamou atenção, a gente tem aquele santinho que bate com o outro. Gosto de gente simpática!

Amanhã Anitta entra na segunda fase da quimioterapia, que levou seus cabelos, deixou sua saúde frágil, mas de maneira alguma tirou a sua vontade de viver. Eu não sabia que ela lutava contra um câncer até dia desses, mas hoje ela veio me visitar e entre um sorriso largo e outro perguntei como ela se sentia e ela disse que estava feliz e forte. O lenço que envolvia sua cabeça não era capaz de maneira alguma de esconder o seu sorriso.

Anitta é elegante, simpática e sorridente. E eu já disse… Não sou sua amiga, mas eu gosto dela e quando a olho ou quando penso nela,  faço por ela o que ela me disse que queria, desejo que ela tenha muita vida, boa vida, da forma mais bela que ela sabe fazer… Com beleza, por dentro e por fora.

E eu desejo aprender sempre as duas coisas que Anitta ensina gratuitamente: Alegria e Força!
Viver é sempre melhor e independente das circunstâncias, escolha superar, escolha sorrir, vem de dentro para fora, não só a beleza dela, mas a que eu vejo nas pessoas.

Obrigada Anitta!

Anúncios

109 anos ou mais

216261_147023588698897_6441374_n

Tive a honra de nascer dotada desse espírito
Que comunga das alegrias e das tristezas do mundo
E se emociona com a energia que vem das pessoas
E encontra em tudo e todos o lado bom.

Eu tive a sorte de enxergar sorriso no meio da noite
E de brindar com a beleza que emana da vida.

Eu aprendi a dançar na chuva
E a cantar pra Lua
Eu aprendi a falar com as ruas
Que andam por mim como ando por elas.

Eu vejo as cores
Em cada dia e vejo ainda mais dias dentro de um só.
Não me aceito dentro dos meus 24 anos
Sendo em mim mais do que eu sou.

Eu tenho em mim
109 anos de histórias que não são minhas
Eu tive a sorte de sorrir até aqui
E esse anos não me pesam os ombros, mas me elevam os pés.

Flutuo entre universos que não pertenço
Mas como boa penetra, me sento à mesa, provo um drink e faço amigos
E se a vida for uma contagem regressiva
Eu tô pulando sobre os ponteiros.

Eu gasto o tempo que me gasta
E ainda não tem fim,
Nem meu tempo e nem esse texto
Porque são 109 anos ou mais que estão começando todos os dias.

Alice, Freud e José

Ela era apenas ela.
E o mundo novo se abriu sob seus pés.
Alice teve de crescer e ser pequena.
A situação pediu que fosse gente grande ou que soubesse lhe dar com sua pequinês em tamanho mundo.

Freud explique essa minha necessidade de falar sobre esse conflito de viver num limbo onde não se é grande o suficiente e nem tão pequeno assim.

Há um meio do caminho onde você ainda não pode caminhar só, mas não pode mais contar com a ajuda de alguém.

É esse ciclo astral ainda não completo antes dos 28 anos de idade. É esse mundo com um paradoxo temporal. Uma ampulheta que vira e desvira. Com e sem tempo. Muito e pouco. Suficiente e não o bastante.

José diz que ela é legal. Sabe conduzir as coisas e ainda lhe dá bom dia, mas José não sabe quem é Freud e nem deve ter ouvido falar de Alice. Ele abre os portões dos caminhos que eu faço e me saúda entre gorjetas e correspondências
É conveniente!

Alice cresceu… encolheu…
Brigou, com medo, mas enfrentou.
Esperavam que Alice conseguisse. E ela conseguiu. Foi por ela ou pelos outros?
Freud? O que me diz?

Um gato que sorri e desaparece também me deixa louca. Num mundo onde se caminha pelo desconhecido mesmo quando se sabe onde deve chegar.

O fim…
Que não justifica, mas transforma os meios.
Os meios que levam ao fim. Ou aos fins? Ou aos afins?
Quantas possibilidades eu tenho?
História escrita ou folha em branco?

José diria que tudo é o que é.
Freud acha que sou um animal dotado de razões imperfeitas e esses desejos que levam e trazem.
Alice não acha, não sabe, não entende… Vai…

E agora?
De Alice, Freud e José.

2015/01/img_8010.jpg

O sorriso de Constança

Faltava dez minutos para as 7 horas da manhã, quando o celular tocou me fazendo pensar se eu estava acordada mesmo ou se ainda sonhava. Era Eduardo que respondia a mensagem enviada dois dias atrás.

Acordei, as 9h já deveria estar em Ipanema. Cansada, após chegar tarde do trabalho na noite anterior, andava pela casa quase me arrastando, tomei um banho, escovei os dentes, peguei a mochila e saí.

Entrei no metrô vazio, escolhi uma cadeira e me sentei. Numa outra estação o metrô ficou cheio e eu avisto uma senhora de pé. A cutuquei e ofereci lugar, ela sentou-se, satisfeita com o meu gesto ofereceu-se para levar minha mochila.
Eu ri e falei que estava muito pesada, ela mesmo assim insistiu. Eu cedi, mesmo ficando com pena dela, pois realmente pesava muito a mochila. Em outra estação o metrô fica vazio novamente deixando vaga a cadeira ao lado da senhora que carregava a mochila.

Se tratava de Constança, ou Maria Constança, uma mineira de Belo Horizonte, que nunca se casou ou teve filhos, que vive no Rio de Janeiro e agora depois dos 80 quer aproveitar a vida depois de ter criado os irmãos, sobrinhos e os pais.
Ela que viajou duas vezes à Brasília para visitar a irmã, dizia que amou conhecer uma cidade planejada, organizada e lamentava por ter esquecido os livros de história que a irmã lhe dera, contando sobre todo o plano da nova capital e sobre todos que ajudaram a construí-la.
Ela que também não sabia em qual parte da Rua São Clemente encontraria o ônibus que a levaria ao Humaitá, onde deixaria um presente para a filha de uma amiga de BH, trazido em sua última viagem.

Entre uma história e outra ela me sorriu dizendo que se sentia feliz por viver e poder ver tantos rostos jovens e bonitos e poder sentir uma energia boa que as pessoas possuíam. As nossas mãos se tocaram em gesto de agradecimento, já chegava a estação de Botafogo onde ela desceria.
Constança levantou-se, se colocou ao meu lado, sorrindo, repetiu meu nome (Leila) vou me lembrar de você nas minhas orações.

Maos-tremulas-vó-e-neto_n

Eu sorri, agradeci e dentro de mim falei: Constança, vou lembrar-me de seu sorriso de menina.

Extra

Esperar pelo extraordinário sem perceber que o ordinário se sobressai por ser assim tão comum.
Comum como um dia qualquer que nos mastiga com rotina. Como o vai e vem das barcas logo ali na estação, que levam e trazem histórias diariamente. Atravessando águas já tão atravessadas. Assim como eu que vivo das águas, ruas, dores e amores que me atravessam.
Vivo dos risos, choros, soluços, gritos e sussurros que esboço.
Eu que como qualquer ordinário dia comum, sou caos e silêncio, fumaça e som, escuro e total solidão.
Nada de extra e nem demais. Comum como as coisas que movem a vida, como todas artérias em funcionamento, como ar que circula de lá até aqui.
Apenas o ordinário imperceptível aos olhos menos atentos.
O tão trivial cotidiano, o amanhecer e anoitecer de dias de sol e de chuva e noites com ou sem lua.
A frente e o verso de uma capa de livro qualquer, que não se mostra tão interessante quanto o avesso que pode contradizer.
É só o que julga a primeira vista…

Nada de extra… Até que se enxergue com outros olhos.

IMG_5287-0.JPG

Fermentando

IMG_4973

Não nasci pra viver as coisas tão mais comuns
Pra ter uma vida pacata e normal
Ainda que eu não escolha, sou mais uma icógnita do que a inércia

A necessidade de estabilidade não sobrevive perto da minha curiosidade pelo novo
A certeza única é a de que nada é tão certo assim
As coisas mais duráveis acabam em minutos

As coisas que se prolongam demais acabam esquecidas pela monotonia em que elas mesmas se afogam
O apego é uma bomba relógio para saúde de quem vive
A vida é trânsito, fluxo, trocas
Idas, vindas, passagens, rumos que mudam sem parar

A coisa mais sensata a se fazer na vida é viver
E deixar que o tempo continue a agir da sua maneira e dar a cada um seu sabor

Não substantive o verbo!

A sociedade não sacia
Nem a fome, nem a sede
Fome de comida, sede de água
Fome de mudança, sede de justiça.

Toda barriga faminta e cada boca seca
Não seja saciada com o sal de lágrimas,
Mas com o suor de uma luta árdua

Que a desesperança não tome conta dos corações inquietos
E que a acomodação não domine os espíritos contentes.

Não podemos desacreditar e muito menos acreditar em tudo.
Verbo é a palavra que exprime ação.
Eu LUTO!

Luto com as armas que desarmam todo o ódio e preconceito que agora se levantaram.
Eu luto com coragem, esperança e vontade.
Não adianta dividir, precisa organizar.

2009102037brasildef

Boa noite, filha

Ela não disse nada, não pediu, nem se quer me olhou.
Apenas ali, no escuro, segurou a minha mão, para que eu também segurasse a sua. E assim, de mãos dadas, ela teve a paz que precisava.
Fechou os olhos com seu ar doce e puro de criança.
Protegida, pelo meu aperto de mão, não se sentia sozinha. Ela em paz dormiu.
E eu, mesmo no escuro, conseguia admirar a beleza de seu rosto.
Cada traço dela para mim é perfeição, como desenhada a mão.
Até o jeito que ela é respira é lindo.

Quando consigo soltar a minha mão da dela, toco seus cabelos e sinto o cheiro deles, suavemente contorno seu rosto com os meus dedos. Ela involuntariamente faz uma careta.

Eu dou uma risada silenciosa e a beijo devagar.
A cubro, e aos pés de seu ouvido desejo: boa noite, filha!

IMG_3836.JPG

Testamento

Foto_Leyla_Guimaraes_Ipanema_RJ

As coisas acontecem!
E quando menos se espera o que era tristeza vira alegria, o que era solidão vira companhia e até o que era verdade vira mentira.
Tanta convicção sem razão de ser.
Tanto signo sem significado algum.
Tanto tanto que é um tanto demais.

Eu sou tão pequena e o mundo é tão grande e o tempo é tão maluco que move esse mundo em freqüências variadas e intermináveis. Uma sempre sucedendo a outra e nenhuma é igual por mais parecida que seja.

E eu gosto assim, da vida que varia, que muda toda hora e me muda o tempo todo. Me faz todo dia um outro alguém, melhor que ontem ou não, mas sempre aprendendo e vivendo mais.

Que as coisas aconteçam então…
Eu não tenho força para impedi-las, apenas desejo delas desfrutar e quando um dia eu não aqui mais estiver, que lembrem-se de mim como alguém que a vida viveu e nada mais…

Talvez sem significado para alguns, mas com muito sentido para outros. Fico na lembrança daqueles que não irão decorar meu nome, mas sorrirão ao lembrar da minha risada boba e descontrolada.
Fico no coração daqueles que me viram algumas vezes caminhar e olhar para trás com um tchau de saudade de quem partiu querendo voltar logo.
Eu também fico nas palavras que eu deixo escritas e essas nunca vão morrer, nunca vão envelhecer, nunca perderão o sentido…
Eu espero que não, pois em todas as freqüências da vida, foram elas que sempre estiveram, estão e estarão comigo… Testemunhas das coisas que eu penso, das que eu digo e até das que eu não digo, por medo, vergonha ou falta de oportunidade.

E é isso que eu deixo…
Um desejo enorme de que não deixe nada demais, mas que sinta plenitude nas coisas que eu realizei, pois é aqui e agora o meu tempo e nada mais!

 

A garota do tempo

10152764_629539670447284_1939043280_n

Meu último texto falava de sol, lua, noite e tempo. Acabei por relembrar outra parte da minha vida.

Desde criança eu tive fascinação pelo clima. Lembro-me que aos 7 anos de idade ganhei um complexo livro sobre meteorologia e passei a desfilar com ele para cima e para baixo, toda orgulhosa de conhecer as condições climáticas, distinguir  o nome dos aparelhos usados para medir o vento, a chuva e etc e tal. Cheguei a cogitar a ideia de trabalhar com meteorologia.
Bem pouco depois a ideia fixa de ser jornalista me pegou e nunca mais me abandonou. De fato, nunca me tornei meteorologista e nem jornalista.

Toda vez que assisto o noticiário me interessa muito saber a previsão do tempo. Atenta, eu sempre fui daquelas que alerta: “Leve o casaco que hoje vai fazer frio”, ou então “Cuidado com a chuva”…
Já fui motivo de piada, mas ainda hoje sei o nome da garota do tempo de cada noticiário. E elas estão cada dia mais interessantes, soltam piadas, dão suas opiniões pessoais sobre o clima, exalam trocadilhos e até sugerem que vinho e fondue são a pedida para o inverno gaúcho. Só faltam sugerir que não fiquem solteiros em São Joaquim e tirem as camisas no Rio de Janeiro. Eu gosto delas.

Na minha adolescência fui viver em Brasília e a curiosidade com o tempo virou paixão pelo céu, durante um bom período me tornei aquela que sempre tinha uma câmera na mochila e todos os dias registrava o céu da cidade, o pôr-do-sol sempre tinha várias cores. Tive um grande amigo que foi meu companheiro em muitos fins de tarde e conversávamos por horas, deitados na grama e olhando para o céu. Em seguida, entrei na faculdade de administração, que também não concluí, mas tive uma colega de curso que trabalhava na ANAC e justamente com a bendita da meteorologia e em algum seminário da faculdade ela falou de sua profissão e me explicou o que era CAVOK e graças a ela também, eu até hoje sei diferenciar uma cumulus nimbus de uma outra nuvem qualquer. Obrigada Ludmila…

A raiz de toda essa curiosidade pode ser o fato de acreditar que essa seja uma forma de prever o futuro, de saber o que esperar do amanhã, talvez alguma necessidade de segurança dentro da incerteza que é a vida. Se não somos capazes de ver a vida amanhã, saibamos pelo menos a cor do céu para enfrentá-la.

Pode ser que seja um jeito de fazer analogia com a minha vida. No fundo  no fundo eu seja a garota do tempo que alguns dias queira anunciar que está tudo ensolarado e outros dias as nuvens carregadas vão aparecer. Tão passível de dias nublados e com possibilidades de pancadas de chuva, ou então de tempo bonito sem nenhuma nuvem e noite estrelada…

Há a mulher de fases, porque eu não seria a garota do tempo? Talvez seja…

Eu ainda sairei por aí preocupada em informar que os casacos deveriam estar nas mochilas, ou que mais tarde irá chover. E me informar se o final de semana será de lindo sol, mesmo que eu não vá a praia, ou eu me aborreça se terá muita chuva e vento, mesmo que eu também não tivesse plano algum. Só por saber mesmo.

Eu sou a garota do tempo… Do tempo que me pertence.

Evolução

A conclusão é que a evolução é muito rápida!

O homem pode ter passado 90 anos dentro de uma caverna, mas no primeiro dia que ele esteve sob a luz do sol, ele enxergou mil novas coisas. E em apenas um dia foram feitas mais descobertas do que em 90 anos.
A sabedoria muitas vezes demora a vir, mas se um dia ela chega, ela é rápida, ela desperta a curiosidade e o desejo de querer mais e mais.

Sim! Uma mente que se abre não volta mais ao seu tamanho original!
A prova de que você evoluiu é se dar conta e pensar “Como eu vivi até hoje sem saber disto?!”.
As descobertas nos transformam em um alguém novo e todos os dias somos modificados.

Portanto não importa o momento.

Quando tem que acontecer ou quando acontece as mudanças vão sacudir o seu mundo e colocar todas as suas idéias de ponta cabeça. Desconstruirão seu mundo velho e erguerão das cinzas um mundo completamente novo. E novos mundos sempre virão.

20140719-222529-80729900.jpg

Nova estação

20140515-215554.jpg

Quando paro pra pensar me pergunto se tudo que eu escrevo não é melancólico, nostálgico e saudoso demais e sempre acabo chegando a conclusão de que é sim! Devo ser um tanto quanto chata, repetitiva e quem sabe até melosa demais…

Fui rever os meus motivos para me repetir tanto na explanação dos mesmos sentimentos e descobri…

…Eu me sinto extremamente feliz por sentir saudade e não é algo que me faça mal, ao contrário, me faz muito bem! Eu seria incapaz de sofrer por sentir saudade e seria incapaz de sentir saudade de algo que tenha sido ruim e sem proveito. Sentir saudade é bom, só o que é bom ou deixa uma boa lição é capaz de marcar a vida o suficiente pra merecer ser revivido em memórias, pelo menos nas minhas…

Guardo com orgulho as boas histórias que vivi, que me contaram, que li, que assisti e até das que eu sonho viver ainda.

Viver de saudade não! Relembrar com alegria sim!

Dia desses eu li uma frase de um escritor em que ele dizia que estava escrevendo pouco por estar feliz e gente feliz não escreve muito, se expressa mais por imagens pois elas dizem mais que palavras…
Pode ser que sim… Talvez eu também esteja escrevendo menos e postando mais fotos em uma rede social… Mas não vim aqui agora escrever por estar triste… Eu venho aqui escrever porque me deu saudade e a saudade me inspira.

A lembrança é passageira, assim como a vida… Mas a lembrança vai e vem como os passageiros de um trem pra qualquer destino… Mas a vida não… A vida é uma só… Ela não vai e vem… Ela só vai, o que vem são as coisas novas, as pessoas novas, como os passageiros que chegam pra conhecer a nova estação…

As lembranças são as viagens… Que acontecem, mas que não duram para sempre, pois haverá sempre novas estações a serem visitadas nessa vida…

Então eu fui…
Fui lá conhecer…

Até a próxima estação da saudade… Te vejo por lá!

Olhando do alto

20140330-232940

Não consigo ter âncoras, não me atraem as amarras. Gosto de ter a escolha de poder voar quando bem quiser. Alto ou baixo, longe ou perto, sozinha ou acompanhada, mas voar…

Por onde a gente passa, a gente deixa e a gente leva e não importa se pouco ou muito. Viver é sair espalhando sementes e se você corre o risco de percorrer os mesmos caminhos, trate de deixar por eles coisas boas. Se você trilha apenas novos caminhos, construa-os da melhor maneira possível. Mas sobrevoe.

E para voar é preciso leveza, necessário se desfazer de todos os pesos, os incômodos, os supérfluos… Abrir mão de tudo que é inútil, do que sufoca, do que não alimenta, do que não sustenta. Pra voar é preciso sentir-se como parte do vento.

…(Feche os olhos e voe)…

E quando voamos, olhamos tudo do alto e todas as coisas se tornam pequenas. E é bem mais simples olhar para frente e continuar. É mais fácil deixar de lado, relevar e até esquecer. Quando vemos do alto, as montanhas são pequenas e tão simples e do alto, as coisas que você resolveu não carregar são invisíveis. Somente as coisas importantes são vistas de cima.

Só precisa ser leve…

Nove de março

Fica difícil não me repetir quando tenho uma musa que mereça tantas palavras que venham do fundo do meu coração. Ainda que eu me repita, não posso conter as palavras que querem sair de dentro de mim.

O dia da mulher é comemorado em 8 de março, mas foi no dia 9 que eu me descobri uma deusa.
Dia 9/03/2012, 16:01 horas, Tijuca, Rio de Janeiro. Foi assim que ela veio ao mundo pra me fazer naquele exato minuto sentir uma coisa que nunca tinha experimentando antes na minha vida e que eu não sei se é possível sentir igual. Foi naquele minuto que eu ouvi o choro dela pela primeira vez e a senti em meu braços, e a vendo instantaneamente parar de chorar e se aconchegar no meu abraço de mãe, foi aquele o momento mais incrível da minha vida!

Já se passaram dois anos desde a primeira vez que ela respirou!
Antes já era amor, foi uma preparação, foram chutes, pontapés, foi ouvir seu coração batendo em todos os exames, foram muito enjoos, foram milhões de pensamentos de como seria a vida quando ela chegasse, ansiedade ao ver suas roupinhas e as coisas que se transformavam na casa para aguardar a sua chegada. E agora já se foram dois anos e ela TODOS OS DIAS aquece a minha vida com esse mesmo amor.

Minha menina aprendeu a andar, falar, comer sozinha, escovar os dentinhos. Já gosta de se pentear e calça os meus sapatos, se aventura a brincar com a minha maquiagem e ri de si mesma quando se olha no espelho toda linda. Seu vocabulário é extenso e ela gosta de subir e descer degraus sem ajuda.
Eu não consigo explicar a maravilha que é assistir ela crescendo e evoluindo dia a dia… Não sei explicar esse sentimento que dói de tão imenso. Que saudade é essa que sufoca quando nos afastamos mesmo que por algumas horinhas.
É um amor que eu não quero que acabe…

Eu aprendo todos os dias com os meus erros e com os meus acertos e eu aprendo todos os dias ao lado dela. Com cada sorriso, cada gesto, ela me ensina com a sua simplicidade e inocência. Nos erros ou nos acertos… A gente só precisa sentir, admitir, corrigir e seguir em frente! Que eu possa sempre ensinar e aprender com ela e que seja simples e cheio de verdade.

Hoje é o dia dela, talvez ela nem entenda, ela não pede e não exige nada, o que ela precisa é de abraço, de beijo e de amor.
Nossa festa é cotidiana, é acordar juntas, caminhar de mãos dadas, brincar com os cachorros da rua, correr, escorregar, pular sem parar, cozinhar juntas, espalhar brinquedos pelo chão, inventar coisas, resignificar objetos, cantarolar, adormecer abraçadas. Nossa festa são as coisas impagáveis que vivemos.

Não podia imaginar que minha vida ganharia tanto valor com um nome de três letras.

Seja sempre bem-vinda filha, como você foi desde o dia em que te descobri, como te falei desde a primeira vez. Bem-vinda minha filha!

Meu melhor presente por toda a minha vida.

20140310-223427.jpg

Sou dela!

20140223-221804.jpg

Tento resistir e hesitar, mas é sempre mais forte que eu. Quando ela resolve sorrir, ela desconstrói meu mundo em um segundo e consegue reergue-lo com traços mais vivos.

Eu sou dela e não consigo negar que meu coração é seu por inteiro. Quando ela me abre os braços e me olha com aquele olhar de quem diz “eu te preciso”… Só consigo retribuir abrindo os meus dizendo “estou aqui”.

Faço jogo duro e cara feia pra que ela entenda que amor também é impor limite, mas ela me faz entender que com doçura é mais fácil ensinar.

São seus sorrisos, seus abraços, seus beijos, seus afagos, sua voz doce que canta músicas que eu não compreendo e é o fato de você ser minha e eu ser completamente sua.

É tudo que você me trouxe desde o primeiro instante. A mudança, a preocupação, a maturidade, a responsabilidade, é o aprendizado diário, mas é principalmente o amor novo que eu descobri em você, o amor que eu ouvia falar, mas que eu senti quando você respirou a primeira vez.

É por cada um desses dias que você veio pra iluminar a minha vida!

Eu sou sua e você é minha… Não minha de me pertencer no sentido de posse, não… Não te quero prisioneira, mas minha no sentido de minha amada, que longe ou perto nunca vai mudar.

Eu te amo, meu sorriso!

Experienciar

Imagem

E mais uma dose desce lenta e dolorosamente garganta abaixo.

É tanta ânsia de deixar de fazer o que não é da vontade, que o corpo não mais responde.
E é tanta tradição, erudição, beleza, costume, apego, tabu, preconceito, futilidade enraizada na alma que me perco entre certo por conveniência ou fazer o errado pra ser feliz.

É tanto dom de dizer a mentira como se ela fosse verdade, e acreditar no que disseram aos que me dizem sem saber se provaram que é verdade. É tanto lixo que entala e empurram e que tentam fazer descer.

E é tanto desejo…
É vontade, paixão, verdade, curiosidade e desejo de novo, pois sem vontade não há experimentação e sem experimentar não tem sabor. E se o sabor não for bom, há de se dizer que a alegria foi boa enquanto durou, pois convenhamos, o processo de derrubar paradigmas, viver a adrenalina de si dizer o controverso é bastante palatável.

É impossível sair incólume de qualquer briga, mesmo que ela seja contra si, mas é mais impossível ficar brigando consigo para o resto da existência sem se dar ao desfrute te sentir na pele, no coração e na alma a alegria de fazer o que se acredita.

Nós somos o que nós temos!

Imagem

Nós somos o que nós temos…
E temos muita alegria de viver, muita força, muita fé. temos inspiração, criatividade. Nós temos dores e alegrias. Nós temos euforia e a pausa para a reflexão. Somos a janela aberta para a rua, a tarde de brincadeiras no quintal, a roda de ciranda e o tampo do dedão perdido lá no chão…

Nós somos as lágrimas da dor de cotovelo, o primeiro beijo de língua e a primeira grande decepção. Nós somos a noite no bate-papo, a insônia e a enxaqueca. O final de semana na fazenda, o namoro na rede e o frio de inverno no dia de verão…

Somos o mar, montanha e floresta… O calor, frio e escuridão… A cerveja, o vinho e refrigerante. A morte, a vida e a poesia.

Nós somos. A tragédia e a concretização. Aquela música, a escrita. Somos o paladar, somos tudo o que vimos… Somos as fotografias, aqueles vídeos caseiros e o bilhete de passagem. Nós somos a ressaca do dia seguinte e a festa de arromba da noite passada.

Nós temos! Nós somos!
Somos os textos do diário, as flores na portaria, o pneu furado do carro, o dia de chuva em casa. Somo o que nós temos e  temos todo o mundo e toda a vida pela frente!

Nós somos o prolixo, o oposto e somos o infinito, porque temos o poder de ser para ter o que quisermos!

Esse país é um circo!

Francamente… É vergonhoso ver tudo o que vejo desde que nasci, o meu país que tem gente morrendo por causa da fome, da seca, da falta de saneamento, da falta de médicos nos hospitais, falta de leitos… Um país tão grande e tão rico, onde falta educação, falta segurança, falta saúde, falta isso, falta aquilo e principalmente falta VERGONHA NA CARA! Vergonha na cara do político que foi eleito pra defender os direitos do povo e que tá roubando o dinheiro dessa gente miserável, esse assassino vestido de terno e gravata que além de ganhar um salário absurdo ainda tem a capacidade de desviar a verba pública. Falta vergonha na cara do cidadão que vota sem consciência e que não vai a luta pra cobrar o seu direito. Falta vergonha na cara do estudante que cola na escola, da pessoa que para na vaga de deficientes, do playboy que suborna o guarda, da mulher que corta  a fila, do comerciante que vende bebida pra menor de idade, do médico que dá atestado falso,  do moleque que não devolve o troco dado a mais, do universitário que copia o trabalho da internet… 

Falta muita  vergonha na cara de todo esse povo, uma gente que não pensa antes de votar e que depois reclama do escândalo que passou na TV e não olha pro próprio umbigo pra pensar que o governante saiu do meio de nós e com certeza a educação dele não começou em sua vida parlamentar… A educação daquele FDP que tá lá no plenário começou em casa quando a mãe e o pai dele disseram que no Brasil tudo se resolve COM JEITINHO, que aqui ninguém é punido quando faz algo errado, que quem tem dinheiro escapa, que se você precisa de trabalho só consegue com QI*… Aquele monstro pode ser seu filho e pode ser você…

Esse país é um circo e eu tô de saco cheio desse espetáculo, não é porque eu nasci nesse circo que eu vou aceitar que me tratem como palhaça, pro inferno com essa comédia sem graça, eu quero ver o meu povo sorrir com verdade  e pra isso é necessário que todos acordem. Abram os olhos meu povo, entendam que o governo é o povo e tem que ser para o povo, parem de ficar na frente da TV de mão no queixo assistindo essa decadência e achando que a política não tem nada a ver com você.

Deixem de ser PALHAÇOS!!!! Acordem e vamos a luta, pois se você acreditar, quiser e lutar as coisas vão mudar!

Brasil

Ando tão à FLOR da pele…

Ando tão à flor da pele… Tão a flor da pele… Que a pele se mistura com o nome da flor…
E ando tão á flor da pele que a pele só quer poder sentir logo a flor, sentir, tocar, sentir…
Ando tão á flor da pele, que em nada mais consigo pensar além da flor.
A pele, a flor, a flor e a pele. Ando á flor da pele, porque até agora a pele e a flor são apenas um, ligadas por carne, sangue e pensamento. A pele e a flor que sentem um só cheiro e um só sabor, mas que logo serão mais de um…

Logo a pele sentirá saudade do pontapé da flor e a flor caminhará com seus próprios pezinhos por aí.  E assim a pele, a carne e alma serão separadas em dois corpos, mas o coração baterá sempre como um só.  Flor que sairá de dentro de mim, nunca sairá do meu coração, por mais que eu ainda não ande á flor da pele, andarei sempre de mãos dadas a minha flor, pois uma vez sentido você, jamais conseguirei viver sem pensar em você. Minha flor, pedaço da minha pele, pedaço de mim… Flor que logo andará, sorrirá e brilhará fora de mim. A flor que vem pra fazer o sol brilhar mais e os espinhos doerem menos. FLOR, minha flor             …

Eu tenho andado sim à flor da pele e a força desta ligação é tão grande que minha flor deixará em mim marcas indeléveis mesmo depois que da minha pele se separar.  Ainda que nos dividam em duas, sendo minha flor um dia minha pele, nunca mais viverei pelo mundo sem conseguir sentir o cheiro da minha flor.

                        Imagem   

Para Lis

É tão difícil explicar o emaranhado de sentimentos que eu tenho agora. Sinto-me alegre, preocupada, responsável, boba, insegura, apreensiva… Eu vou ser mãe! É como se do dia para a noite a minha vida mudasse totalmente de sentido! Se antes eu fazia planos para mim ou até mesmo se eu não me encontrava, eu agora tenho um sentido para tudo. Eu estou trazendo uma nova vida para o mundo, um ser que está se desenvolvendo dentro de mim, que desde muito pequeninho já tinha um coração e um ser que desde o primeiro dia em que eu soube que existia, já era amado.
A minha filhinha vai nascer!
Não consigo não sorrir e chorar ao falar com você enquanto acaricio a minha barriga que está crescendo todos os dias, me emocionar ao sentir seus chutes e pensar em como será o seu rostinho, seu cheiro, seus traços…
O meu mundo mudou, está mais cor-de-rosa… Obrigada filha por me fazer mãe e por me fazer sentir um amor que eu não imaginava que pudesse existir. Obrigada por me mostrar o mundo tão melhor, por me fazer forte e me desculpe filha se às vezes eu choro por achar que eu estou muito gordinha e por reclamar quando vejo que as minhas roupas não me servem mais, não choro por você está crescendo aqui dentro, é que as alterações hormonais são mais fortes que eu. Quando eu penso só em você eu sei que tudo fica mais bonito, a mamãe é chorona mesmo, não ligue.
Filha, eu durmo e acordo todos os dias cercada de novos sentidos. Enquanto você não chega eu passo horas a namorar suas roupas e sapatinhos e a preparar o mundo aqui para a sua chegada. Lis, você ainda nem chegou, mas o papai e a mamãe te amam tanto. Eu sei que você não vai se lembrar, mas eu queria que você soubesse que nós passamos muitas noites cantando pra você e sorrindo ao sentir seus movimentos enquanto tentávamos descobrir qual era a parte do seu corpinho que se mexia. Nós ficamos ansiosos por cada consulta ao médico e nosso coração mudava de ritmo toda vez que nós escutamos o seu coração bater. Nossos olhos enchem de água toda vez que vemos um brinquedinho, nós nos olhamos e sorrimos toda vez que vemos um bebê na rua e sempre nos perguntamos como você vai ser. Ficamos fazendo mil suposições sobre a cor dos seus olhos, dos seus cabelos e se você vai gostar de andar de skate ou de dançar balé. Nós ficamos bobos, completamente derretidos, transbordando de amor.

Não sei o que você vai ser quando crescer, nem podemos planejar a sua vida por você, mas posso garantir que você poderá sempre contar com o nosso amor e com o nosso apoio. Minha pequena florzinha que está chegando ao mundo… Venha fazer os nossos dias mais belos e suaves, transformando todo instante em único.