Eu sou o sucesso de um time

Tenho passado por um processo de transição imenso. Atribuí muita coisa ao meu lindo retorno de Saturno, amadurecimentos, novas buscas, coisas que estou deixando para trás.

Eu percebi que uma ciclo está se encerrando e outro começando na minha vida. Por ser uma pessoa muito pé no chão, tenho sempre um pouco de dificuldade de lidar com esses processos de transplantação, de mover as minhas raízes que estão crescendo, para um vaso ainda maior, onde eu vá crescer para cima, e possa dar cada vez mais flores e frutos.

Tive uns dias de olhar muito para dentro, tentar silenciar e entender, refletir sobre tudo o que está acontecendo e tudo o que precisa acontecer. Tive que buscar coragem, força e principalmente agir.

E as coisas estão acontecendo, os resultados estão aparecendo, as reações das ações estão aí e quanto mais coisas acontecem, mais coisas eu penso sobre tudo isso.

Tenho me dado conta que sucesso está muito relacionado à pessoas, pois hoje, mais do que nunca, entendo que ninguém vive sozinho. Somos seres sociais e que a escolha dessas pessoas que nos cercam, influência nas experiências que vamos viver e o que com elas vamos aprender.

Tenho aprendido a aprender com todo mundo que está ao meu redor, mas também fiz a escolha de selecionar melhor as minhas parcerias para as diversas áreas da vida.

Tenho entendido cada vez mais a diferença entre o grupo e o time, e como capitã da minha vida, tenho trazido para o meu lado pessoas incríveis que têm fortalecido muito o meu jogo na vida. De mãos dadas a gente tem entrado em campo para buscar um objetivo comum, entendendo e aceitando o papel de cada um.

Fortalecer uns aos outros, apoiar, ouvir, acreditar, questionar, trocar conhecimentos, incentivar, fazer feliz e ser feliz. Doando amor, em qualquer gesto.

Com sorriso, suor, lágrimas, mais suor, ideias, planejamentos, criações, tenho me orgulhado muito do meu timão e dos nossos resultados.

Eu não sou o que eu sou sozinha e como se diz na linda filosofia Ubuntu, EU SOU PORQUE NÓS SOMOS.

Gratidão!31698867_1692714814129759_1697993678133395456_n

Anúncios

#Obrigada – Jaqueline

O que define uma família?

Quais parâmetros podem medir se alguém é de fato parte tão importante da minha vida?
Genética? Desenho de árvore genealógica? Um exame?
Jaqueline, a Jaque. Fala baixinho, ri alto e abraça forte.
Eu ainda vou contar a história de muitos anjos, mas começo por ela, que sempre me emociona.
Eu não sei se eu enviei um convite, mas sei que ela aceitou fazer parte da minha. Muitas vezes ela não está lá, mas divide comigo e me faz ter fé na vida de novo.
Me faz sentir família, com abraço de mãe, colo de amiga e gargalhada de cúmplice. E eu nunca entendo quando ela tenta me dizer obrigada por algo, pois eu não conseguiria jamais retribuir a tanto. Poderia narrar muitas coisas, mas um dia ao contar de um problema meu para Jaque, ela me olhou nos olhos chorando e me perguntando Porquê? Porquê tanto sofrimento?
E eu chorei, não pelo que eu vivia, mas porque naquele momento ela fez eu sentir que não merecia sofrer, mas que eu merecia ter pessoas na minha vida como ela e quando alguém no mundo aceita dividir com você aquilo que é seu, o seu peso se torna mais leve e mesmo a sua felicidade se torna mais plena.
É não estar sozinho.
Escolha!
É isso que define família. É escolher dividir. Dividir é levar e é trazer. É receber e também oferecer. Partilha.
Jaque, obrigada pela sua escolha, não só comigo, mas pelas escolhas que você faz da sua vida e pelo que elas fazem com você.
Você me faz acreditar em muitas coisas boas.
Você me diz que eu sou jovem, é que eu vivo esquecendo, mas me lembro quando te vejo.
Você me faz ver que quem está certo não precisa falar mais alto e nem por último.
Você me faz ver que nem sempre que gestou um filho é que a mãe.
Me faz entender respeito. Quanto mais se dá mais se tem.
Valor de uma amizade é ter uma amizade que não tem preço.
Muito obrigada Jaque. Obrigada pelo que você é e pelas outras 4 pessoas maravilhosas que você trouxe pra minha vida!
Amo vocês!

#Obrigada – Duda

470729_463658820361379_913014321_oEm algum momento da minha vida eu tive a oportunidade de conhecer a Duda. Ela chamava muita atenção, porque além de ser alta, ter lindos olhos azuis, ela é extremamente simpática. Cativante Eduarda!

Um tempo depois que a conheci, Duda veio morar no Rio de Janeiro. Mal sabia eu que, poucos meses depois, eu também me mudaria pra cá e me tornaria sua vizinha.
Mesmo morando na mesma cidade, poucas vezes tivemos a chance de nos encontrar, além da vida sempre corrida, ela passou a viajar o mundo boa parte do tempo, e tem vindo pouco ao Rio.

Em um de nossos encontros, fui a sua casa, ela tinha saído, mas deixou a chave na portaria para que eu a esperasse, eu meio sem jeito, entrei naquele universo com cores, gatos e frases positivas espalhadas por todo lado. Esse é o mundo da Duda, meio sem chaves, sem gavetas, sem máscaras, com cores, com aromas, com leveza.

Nas nossas conversas eu sempre consegui admira-la mais e mais. Era fácil olhar pra ela na rua e ficar babando, ela é uma linda mulher sim, mas quem faz parte do seu mundo conhece uma pessoa infinitamente mais linda, mais leve. A grandeza vai muito além do que se contato de maneira superficial.

A Duda nem deve saber, mas eu acho lindo o quanto ela parece ser livre num mundo tão preso a coisas pequenas. E como é bonito você olhar pra uma mulher que parece uma boneca, bela, delicada, aparentemente frágil, mas que está ali, sempre batalhando imensamente por todas as coisas, e que escolhe o que acha melhor para sua vida, sem se preocupar tanto com o que os outros vão pensar a respeito, mas que se preocupa com  o quê e quem importa de verdade, que ama a família, os amigos, que se predispõe a estar ao seu lado quando você precisar.

Eu tenho orgulho da Duda, e das muitas Dudas que existem no mundo.
Existem pessoas boas, de coração bom e que merecem e com certeza atraem coisas boas nessa vida.

Dudinha, obrigada por ensinar tanto, mesmo que às vezes por tão pouco. A gente nem sempre é o que a gente pensa, mas o que a gente passa e você passa tanta coisa boa e do que a gente passa a gente deixa e você sempre deixa saudade.

Meu agradecimento pelos sorrisos de Duda, pelas conversas de Duda, pela linda leveza que é ser Duda.

1060164_517111595023426_1982571022_n

Obrigada por tudo, nada e qualquer coisa!

unnamed (4)

Acho que todo mundo já pensou algum dia “E SE EU MORRESSE HOJE?”
Eu sou uma dessas que vez ou outra fico me perguntando o que eu teria deixado de bom para o mundo, como as pessoas iriam se lembrar de mim? Elas se lembrariam de mim? Quais razões elas teriam pra isso? Eu vou deixar saudades? E principalmente EU AGRADECI AS PESSOAS?
Pensando nisso, eu resolvi começar a deixar pequenos textos, por aqui, pra de certa forma dizer para muitas pessoas como elas contribuíram na minha vida.
Nem sempre foram pessoas próximas, as vezes não foram nem pessoas que eu conheci, foi alguém de quem eu ouvi falar, ou pessoas que deixaram alguma lição que me marcou, alguém com quem eu aprendi, alguém que eu admirei, que me trouxe alegria ou que motivou grandes mudanças.

Eu gostaria apenas de ser grata!
Não haverá ordem de importância, de relevância… Todos são importantes, todos são relevantes, algumas motivações cotidianas, algumas memórias, coisas do tipo me farão pensar que hoje é dia de agradecer a…

Então é isso!
Entre os meus próximos textos estarão presentes os meus agradecimentos.
Quem quiser acompanhar mais, se inscreva no blog e na fan page: https://www.facebook.com/blogleylaguimaraes que eu vou atualizando sempre.

Luz do sol

IMG_1063.JPG

No sábado choveu e eu não pude aproveitar a luz do sol e nem caminhar na rua. Foi um dia cinza e feio. Depois de todo dia chega a noite e nenhuma noite é iluminada e disso eu sempre soube.

Toda noite é escura! É a natureza.

Sendo a noite negra, todo sorriso que nela brilha é razão de beleza, e naquele sábado cinza e chuvoso, a noite foi difícil e bonita, como se me devolvessem no meio da madrugada o raio de sol que me roubaram de dia e em meio a tanta sombra eu vi luz.

OBRIGADA!

Minha primeira palavra do amanhecer seguinte, um obrigada ilustrado com foto de sorrisos e um obrigada de quem viu o sol da madrugada de sábado se estender pelos dias que seguiram.

Você que devolveu meu sol não foi embora para sempre, estará sempre por perto, mesmo que na memória ou na eterna gratidão de nossos corações.

Leve sempre com você o calor desses dias tão ensolarados e um pedaço, ainda que pequeno, do imenso bem que fez. Ilustre na sua memória sempre com um sorriso a lembrança de noites escuras que podem se transformar em dias de luz plena!

A vida é um caminho muitas vezes sem voltas, sem retornos, caminhamos e seguimos em frente, mas nossas trajetórias deixam lembranças, levam e trazem coisas, pessoas, aprendizados e lições, muitas lições. Aprendemos com cada uma delas como prosseguir.

Que por mais tortuosos que sejam os caminhos… Que haja luz… Que haja sol…

PS: escrito em novembro/2013 e reescrito agora!