Sensibilidade

dsc_0037

Tente descobrir a grandiosidade de experimentar uma coisa com a intensidade de todos os seus sentidos. São sabores, sons, aromas, sincronias e complexidades quase indescritíveis. Cores inenarráveis, divinas.

Um alto e apurado grau de consciência em apenas ser e existir, de corpo, mente e alma.

Uma prolongação das notas das músicas, os detalhes dos acordes, um a um, na vibração que o som produz. É plenitude.

Um mágico e presente cheiro. Que brinca com as suas memórias e com seu consciente e inconsciente.

O sabor lento que atenta todas as suas papilas e as faz dançar.
Um toque, que ativa todos os receptores da pele, como se o tato fosse suficiente para despertar todos os outros sentidos humanos.

Um olhar direto e penetrante que dura até que os olhos se fechem, dura até que se olhem de dentro para fora. A partir de tudo o que habito.

Uma inspiração por vez. Expiro e me inspiro de que é nato e inato. Me inspiro de tudo que sinto. Expiro tudo o que sou.

Anúncios

O horizonte que mora em mim

DSC_0692.JPG

Um homem qualquer parou para acender um cigarro no momento em que o sol rasgava o ventre do céu, como um menino que quer ser parido. Do meu lado ele era só mais um simpático espectador deslumbrado.

Enquanto todos miravam o horizonte, as lentes dos óculos escuros e o fundo de cada olho refletia o brilho estonteante do astro rei em seu arrebol. De repente me dei conta de que eu estava lá e que poderia estar quantas vezes mais desejasse. Descobrindo vez por vez o porquê brilham os olhos. Brilham os novos e brilham os mesmos.

Quais os motivos moram no sol? Quantas razões encontradas no horizonte? Qual foi a descoberta?

Foi mirando o horizonte que aprendi a olhar além, além de tudo, até chegar onde só poderia me encontrar comigo mesma. Tão longe eu fui que cheguei dentro de mim, quando olhei de novo para o mesmo lugar, com outro ponto de vista.
Pensei sobre o que até agora aquilo me dizia, olhei de novo e esperei ver algo diferente, e olhei, até que vi. Até agora me pergunto se era lá mesmo onde tudo que eu olhava me surpreendia, ou se é olhando em mim me surpreendo ainda com o que eu não conhecia.

Eu vou amar o mundo toda vez que olhar o bastante para conseguir enxergar além, muito além do superficial. Até conseguir encontrar o meu novo e melhor, sempre melhor, jeito de enxergar.
Vou mudar tudo no mundo, quando eu mudar sempre em mim.

Fotografia

dsc_0103Eu capturei você em um retrato. Peguei pra mim e eternizei uma lembrança sua que talvez nem te pertença, mas que será, de agora em diante, pra sempre minha.

Eu tomei para mim uma você que nunca foi e nunca será real. Eu vou guardar uma representação sua, que ainda sendo sua, é muito minha.

Você, para mim, é a alma daquela foto. Está lá, plena, serena, tão poesia, toda beleza, toda sutileza. Você natura.

Eu vou guardar de você uma possível mentira, que pra mim é toda a verdade. É você do jeito que eu te quis, que eu te quero, do jeito que eu te fiz, que eu te vi. É você na minha construção.

É você, que é um pedaço de mim. Seguro e simples, como um pedaço de papel na palma das minhas mãos.