Deixa que passa…


Eu acionei a minha metralhadora de sílabas. Você se importou com o tamanho das minhas frases.

Logo eu, de longos e explicativos textos, de Infinitas histórias, de suposições inimagináveis. Eu resumi as palavras a monosons, como um escritor que publica um tuíte, ou alguém desinteressado que sacode os ombros e revira os olhos.

Algumas vezes, sem motivo, eu emudeço. Me recolho. Me escondo. Me esquivo. Às vezes eu me desfaço.

Mas fique tranquilo. Depois eu volto. Eu conto. Eu apareço. Eu abraço.
Fica tranquilo que eu me refaço!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s