Me enche


  

Quando vai dormir, ela gosta de ver as luzes diminuindo, os ruídos também. 

Ela se deita de lado e abraça o travesseiro, mas ela anseia mesmo é pelos meus abraços.

Ela me olha dentro do meus olhos, no escuro, como quem suplica por um toque, e eu atendo.

Acaricio a sua pele, mas é a sua alma que sente o afago das pontinhas dos meus dedos.

O sossego tá ali, como quem pede pra ser seu. E ele vem todo dia fazer morada na minha casa. 
Você é a paz profunda que nunca me faltava, mas que eu nunca sabia onde estava. 
Te achei.

Me transborda, daqui até o fim da vida. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s