Menos juiz e menos juízo 

Mulher yoga Paraty
 

Será muito menor a quantidade de elogios a de críticas. Desproporcionais eu diria.

As pessoas estão fadadas a despejarem sobre as outras as suas frustrações e infelicidades e acabam por projetar nos outros todos os seus problemas.
É difícil ficar imune ao ódio, rancor e mágoa alheia. Manter os ouvidos abertos para ouvir aqueles que nos querem e nos fazem bem. As vezes nos esquecemos que a grande maioria das pessoas que criticam as nossas atitudes, nosso comportamento, nossos hábitos… A maior parte dessas pessoas nem nos conhecem de verdade. Superficialmente se sentem no direito de julgar de acordo com o seu ponto de vista o certo e o errado. Sem ponderar se quer as conseqüências do que diz.
Todos os dias pessoas matam pessoas com palavras e todos os dias as pessoas esquecem que amanhã elas podem ser apontadas, vitimadas pelos mesmo atos que praticam.
A nossa natureza é impura e fraca.
Mas feliz daquele que sabe que o importante é só o que importa de verdade.
Sem contra ataques! Sem vingança!
Não é preciso apontar o dedo de volta, a vida é uma sucessão de ciclos que iniciam e terminam o tempo todo.
E os odiadores, odiaram.
Os amadores, amaram.
E os juízes também serão julgaram, julgarão…
E pra evitar um final de dor…
Plante mais flores.
E pense no silêncio.
Anúncios

#Obrigada – Jaqueline

O que define uma família?

Quais parâmetros podem medir se alguém é de fato parte tão importante da minha vida?
Genética? Desenho de árvore genealógica? Um exame?
Jaqueline, a Jaque. Fala baixinho, ri alto e abraça forte.
Eu ainda vou contar a história de muitos anjos, mas começo por ela, que sempre me emociona.
Eu não sei se eu enviei um convite, mas sei que ela aceitou fazer parte da minha. Muitas vezes ela não está lá, mas divide comigo e me faz ter fé na vida de novo.
Me faz sentir família, com abraço de mãe, colo de amiga e gargalhada de cúmplice. E eu nunca entendo quando ela tenta me dizer obrigada por algo, pois eu não conseguiria jamais retribuir a tanto. Poderia narrar muitas coisas, mas um dia ao contar de um problema meu para Jaque, ela me olhou nos olhos chorando e me perguntando Porquê? Porquê tanto sofrimento?
E eu chorei, não pelo que eu vivia, mas porque naquele momento ela fez eu sentir que não merecia sofrer, mas que eu merecia ter pessoas na minha vida como ela e quando alguém no mundo aceita dividir com você aquilo que é seu, o seu peso se torna mais leve e mesmo a sua felicidade se torna mais plena.
É não estar sozinho.
Escolha!
É isso que define família. É escolher dividir. Dividir é levar e é trazer. É receber e também oferecer. Partilha.
Jaque, obrigada pela sua escolha, não só comigo, mas pelas escolhas que você faz da sua vida e pelo que elas fazem com você.
Você me faz acreditar em muitas coisas boas.
Você me diz que eu sou jovem, é que eu vivo esquecendo, mas me lembro quando te vejo.
Você me faz ver que quem está certo não precisa falar mais alto e nem por último.
Você me faz ver que nem sempre que gestou um filho é que a mãe.
Me faz entender respeito. Quanto mais se dá mais se tem.
Valor de uma amizade é ter uma amizade que não tem preço.
Muito obrigada Jaque. Obrigada pelo que você é e pelas outras 4 pessoas maravilhosas que você trouxe pra minha vida!
Amo vocês!

#Obrigada – Duda

470729_463658820361379_913014321_oEm algum momento da minha vida eu tive a oportunidade de conhecer a Duda. Ela chamava muita atenção, porque além de ser alta, ter lindos olhos azuis, ela é extremamente simpática. Cativante Eduarda!

Um tempo depois que a conheci, Duda veio morar no Rio de Janeiro. Mal sabia eu que, poucos meses depois, eu também me mudaria pra cá e me tornaria sua vizinha.
Mesmo morando na mesma cidade, poucas vezes tivemos a chance de nos encontrar, além da vida sempre corrida, ela passou a viajar o mundo boa parte do tempo, e tem vindo pouco ao Rio.

Em um de nossos encontros, fui a sua casa, ela tinha saído, mas deixou a chave na portaria para que eu a esperasse, eu meio sem jeito, entrei naquele universo com cores, gatos e frases positivas espalhadas por todo lado. Esse é o mundo da Duda, meio sem chaves, sem gavetas, sem máscaras, com cores, com aromas, com leveza.

Nas nossas conversas eu sempre consegui admira-la mais e mais. Era fácil olhar pra ela na rua e ficar babando, ela é uma linda mulher sim, mas quem faz parte do seu mundo conhece uma pessoa infinitamente mais linda, mais leve. A grandeza vai muito além do que se contato de maneira superficial.

A Duda nem deve saber, mas eu acho lindo o quanto ela parece ser livre num mundo tão preso a coisas pequenas. E como é bonito você olhar pra uma mulher que parece uma boneca, bela, delicada, aparentemente frágil, mas que está ali, sempre batalhando imensamente por todas as coisas, e que escolhe o que acha melhor para sua vida, sem se preocupar tanto com o que os outros vão pensar a respeito, mas que se preocupa com  o quê e quem importa de verdade, que ama a família, os amigos, que se predispõe a estar ao seu lado quando você precisar.

Eu tenho orgulho da Duda, e das muitas Dudas que existem no mundo.
Existem pessoas boas, de coração bom e que merecem e com certeza atraem coisas boas nessa vida.

Dudinha, obrigada por ensinar tanto, mesmo que às vezes por tão pouco. A gente nem sempre é o que a gente pensa, mas o que a gente passa e você passa tanta coisa boa e do que a gente passa a gente deixa e você sempre deixa saudade.

Meu agradecimento pelos sorrisos de Duda, pelas conversas de Duda, pela linda leveza que é ser Duda.

1060164_517111595023426_1982571022_n

Obrigada por tudo, nada e qualquer coisa!

unnamed (4)

Acho que todo mundo já pensou algum dia “E SE EU MORRESSE HOJE?”
Eu sou uma dessas que vez ou outra fico me perguntando o que eu teria deixado de bom para o mundo, como as pessoas iriam se lembrar de mim? Elas se lembrariam de mim? Quais razões elas teriam pra isso? Eu vou deixar saudades? E principalmente EU AGRADECI AS PESSOAS?
Pensando nisso, eu resolvi começar a deixar pequenos textos, por aqui, pra de certa forma dizer para muitas pessoas como elas contribuíram na minha vida.
Nem sempre foram pessoas próximas, as vezes não foram nem pessoas que eu conheci, foi alguém de quem eu ouvi falar, ou pessoas que deixaram alguma lição que me marcou, alguém com quem eu aprendi, alguém que eu admirei, que me trouxe alegria ou que motivou grandes mudanças.

Eu gostaria apenas de ser grata!
Não haverá ordem de importância, de relevância… Todos são importantes, todos são relevantes, algumas motivações cotidianas, algumas memórias, coisas do tipo me farão pensar que hoje é dia de agradecer a…

Então é isso!
Entre os meus próximos textos estarão presentes os meus agradecimentos.
Quem quiser acompanhar mais, se inscreva no blog e na fan page: https://www.facebook.com/blogleylaguimaraes que eu vou atualizando sempre.

Linhas da vida

  

Foi difícil decidir como começar a escrever, mas eu queria, eu sempre quis!

Não essa linha, não esse texto…
Foi difícil começar a escrever a minha vida quando me deparei com uma folha em branco e algumas páginas viradas.
Era somente eu.
Eu várias vezes me perdi, me perco e me perderei. É normal para quem possui opções, nem sempre escolher a melhor, mas também é normal poder voltar atrás, tentar novamente.
Anormal é ceder aos mesmos medos sempre e por eles deixar de viver. Mas tenho me visto em novas páginas, entre palavras e desenhos. Muitas vezes mais desenhos, rabiscos, projetos de coisas que eu quero que se concretizem, mas eu planejo, eu sonho, eu desejo e desenho.
Eu tenho uma velocidade reduzida e me aceito um pouco mais devagar do que o resto do mundo, mas eu tenho ouvido as vozes fora de mim. 
Não é preciso levar tudo tão ao pé da letra…
Você pode oferecer mais que isso…
Você não tem todo tempo do mundo, mas ninguém tem! 
Eu estou ouvindo vocês!
E o meu eu que escuta, pede pra sair de dentro do meu eu contido.
O meu eu que quer escrever mais, dessas linhas e dessa vida…