Da janela pra cá

Leila Fotos (197)
Fica aqui mais um pouco. Só mais um pouco.
Uns 5 minutos, dez anos ou o resto da vida, mas fica.
É que eu achei no seu abraço a paz que eu queria sentir no resto do mundo.
Eu descobri que todas as coisas são descartáveis.
Elas são coisas.
Mas com você eu tenho mais. Você me faz sentir.
E emoções não são coisas, não quero jogá-las de qualquer maneira no mundo.
Sinta comigo.
Me abraça só mais um pouco e fica.
Me deixa ver seus olhos adormecendo enquanto o seu sorriso se desfaz e se transforma na sua cara de paz.
Sim! Você tem uma cara de paz.
Essa que fica estampada aí, quando eu ainda não consigo entender se seus olhos estão abertos ou fechados.
E na minha dúvida, mora seu silêncio. Ou no seu silêncio mora a minha dúvida. E eu duvido me encantando.
Deixa a vida continuar seguindo do lado de fora da janela, mas hoje, fica! Continuar lendo

Anúncios

Efeito Colateral 

Quando eu me prescrevi você, esqueci de dizer a mim mesma sobre os seus efeitos colaterais.

Eu não me contei que você causava arrepios, suor, delírios e dependência.

Eu esqueci de dizer que você poderia se tornar um vício.

E abstinência causa água na boca e visões quase reais.

Eu me contei que você era remédio, mas omiti que o abuso te transforma em meu veneno e eu abusei. Ah! Como eu abusei!

E agora é certo que vivo num mundo paralelo onde te procuro em bocas e becos.

Mas não se encontra fácil a versão mais pura desse sabor intenso.

E então… Água na boca…

E aí te encontro… Arrepios, suspiros, suor e vários delírios e antes que eu perceba… Já me encontram completamente alucinada e quando me dou conta, já não quero mais nada. E eu volto, não me trato.

E eu me vendo, sem me ver.

Eu me vendo sem te ver.

Eu me vendo te procurando.

Eu me vendo, te compro!

Eu – Meu

 

Peça única

Sou a originalidade mais comum a todos

O sorriso único que todo mundo tem 

A exclusividade das multidões 

A inovação de anteontem


Sou a obra prima mais plagiada nos mercados populares

A peça exclusiva do consumo coletivo

A raridade de cada esquina


Eu sou tão meramente eu que transformei autêntico um sinônimo de coisa qualquer.

A necessidade de ser tão eu, tão eu, tão eu… Que me transforma num invisível igual.

#pílula 

 

E nos dias que eu fico aqui sozinha, eu sinto saudade da sua voz.

Sinto saudade da sua facilidade em me fazer sorrir.

Passo as horas sem ter certeza se lá fora chove ou faz sol.

É indiferente! 

Os dias são sempre mais bonitos quando você está por aqui. Quando você me faz rir.

 

E se daí onde você estiver conseguir me sentir… Te desejo boa noite e bem lá no fundo eu te desejo um “volte logo”. 

 

🙂