Revolta das Revoltas!

Eu já lutei por tantas causas… E enquanto eu acreditei, todas elas foram verdadeiras, mas só enquanto eu acreditei…

Às vezes eu me sinto desmotivada, precisando de uma boa guerra pra vencer, uma luta, um lado pra tomar partido, um motivo pra sair gritando, um alguém ou alguma coisa para defender! Já senti e ainda sinto um enorme desolamento por vez ou outra não ter um lado pra assumir, uma razão para protestar… Isso me parece uma necessidade fisiológica, não é só a alma que necessita de motivos, mas o corpo quer impulsos, o grito que entala a garganta quer sair, a revolta reclusa dentro do peito quer vazão… Quantas e quantas decepções… Uma seqüência de descobrimentos a respeito do mundo, da vida e de como ela é… Por mais horroroso que seja o clichê é exatamente assim…

Hoje escrevo aqui sobre a revolta de minhas revoltas…

Já me aborreci, me decepcionei, chorei, sofri e até mesmo sorri da minha própria cara por me descobrir patética… Já achei que estava fazendo algo de bom pelo mundo inteiro e acabei caindo na real e vendo que a maior beneficiada de todas as minhas ações pelo bem coletivo, sempre fui eu mesma! Ninguém luta por nada que de uma forma ou outra não te atinja, ainda que indiretamente.

Quando você alimenta uma pessoa faminta é você que sai com o ego saciado, quando você defende os direitos humanos, você se sente humano o suficiente para reivindicar algo de melhor para si!

Tirando a parte positiva, tem também o lado da decepção das causas. Já vi corrupção em movimentos que lutavam contra os corruptos, as mentiras, as farsas em nome do benefício desse ou daquele e acabei me sentindo mais um daqueles porcos que eu tanto odiava. Desses movimentos, os mais sujos, são sem dúvidas os relacionados a política, desde os movimentos de base, parece que são educados a uma cultura podre, um circulo vicioso, parece não, eles são! São carteiras adulteradas, congressos onde muitos estão apenas para “fazer número”, discursos vazios, ou até mesmo cheios, cheios de demagogia.

Educo-me assim… Quebrando a cara! Minha revolta das revoltas!

Eu nasci e cresci em um país que vive de pão e circo, onde as pessoas são felizes assim! O mundo é patético e a grande maioria das pessoas é patética também, mas não as culpo! Não é defeito nenhum… Há quem diga por aí que a ignorância é uma benção e com certeza aquele que criou essa frase, desejava nunca ter descoberto o mundo além da ignorância, pois é duro acordar e ter que enfrentá-lo!

Não estou procurando a essência de nada, não quero encontrá-la e sei que não posso… É impossível encontrar algo puro de alguém em mim, pois tudo o que eu sou, o que eu penso, o que eu julgo, nunca será imparcial, pois sempre estou opinando, julgando, pensando comigo mesma. Em tudo o que eu fizer, eu nunca vou deixar de ser eu, portanto, nada que saia de mim é totalmente puro, a essência de todas as coisas é inatingível por mim e talvez até por elas mesmas. Eu não estou buscando respostas para as ações do mundo, eu busco respostas o tempo inteiro para me construir. Minhas revoltas são um modo de fazer isso, de consolidar minha personalidade.

Para que eu saiba o que eu penso, eu preciso primeiro pensar, eis o lado bom de assumir uma causa, eu penso sobre ela e ela age sobre mim enquanto eu aceitá-la como uma “verdade”. Aí está a eficácia de todas as coisas… É preciso investir sobre elas um certo crédito, é preciso concebê-las como reais, se assim for elas permanecerão verdadeiras pelo tempo que durar essa verdade em mim, mas só nesse tempo e nenhum instante a mais!
Muitas causas só irão te decepcionar, muitas te aborrecerão, te farão chorar, te farão gritar, mas também te levarão a novos amigos, a novos grupos de discussões, a novos olhares sobre o mundo…

Para finalizar, só tenho a dizer que todas as minhas revoltas me fizeram crescer muuuuuito. Foram elas a base par minhas mudanças de idéia, para minha evolução intelectual e para meu crescimento pessoal!
Revolte-se também!

Anúncios

Pala…

A vida é uma área de risco!
Sim…
Estamos em constante perigo, em eminência de qualquer coisa, afinal, não nos cabe prever absolutamente nada, nos seria até conveniente, mas ainda não é possível…

Tudo aquilo que nos é previsível, nos é possível!
Pense bem a respeito disso!!!

Só não fique a vida toda esperando que tudo aconteça… Mas tenha a certeza de que os acontecimentos de toda essa vida irão lapidar você!

@leylanacronica

É importante agir!

É bem verdade que passamos grande parte da vida sentindo coisas em silêncio.
São milhares de sons e sabores que nos dão uma sensação extasiante e nós nem ao menos esboçamos qualquer expressão.
São centenas de lugares que você quis conhecer ou voltar e o tempo acaba passando e você não age, não se mexe… Mas principalmente, são muitas as pessoas maravilhosas que você conheceu, conviveu ou apenas observou e nunca se quer teve a coragem de dizer a elas o quanto lhes faziam bem, mesmo involuntária ou inconscientemente.
São aqueles colegas de trabalho, de faculdade, também aquela senhora do café da esquina que sempre te acolhe com um sorriso, o porteiro do seu prédio que sempre deseja que seu dia seja bom, o motorista do ônibus que diz olá.
Bem no fundo a nossa vida nunca é vazia, é o nosso olhar sobre o mundo que nos leva a instantes de solidão. Nosso olhar que volta e meia fica cego com qualquer grão de areia transformando-o em uma montanha escura, fria e solitária.
Se em alguns momentos você estiver assim, aproveite esses instantes na montanha para refletir, aproveite também para desafiá-la e vencê-la. Superar obstáculos para enaltecer a auto-estima e retornar a realidade… E quando voltar, não se esqueça de agradecer a tudo aquilo e a todos aqueles que são sua força, aqueles que dão as mãos a você para te ajudar a superar seus desafios e estão sempre dispostos a ser a fagulha de luz nos teus dias escuros e não te deixam sozinho… Jamais…
Não se esqueça de agir… Pois por mais que os nossos sentimentos nos alimentem bastante, quando somos capazes de compartilhá-los, eles se multiplicam. Quando você faz alguém sorrir, no fundo você sorri duas vezes. Não é favor algum fazer algo de bom para os outros, é na verdade um ato meio egoísta, pois a pessoa mais beneficiada é você mesmo!

Leyla Guimarães
Escrito em 30/10/2010
Reescrito em 25/01/2011

ex pressão

É preciso chorar quanto algo nos entristece…
E sorrir quanto algo no alegra…
Falar quando algo nos incomoda…
É preciso dar vasão aos nossos sentimentos, para que não emudeçam!

Calá-los é egoísmo puro!
Querer guardar tudo para si e achar que é possível acomodá-los é ignorância!
Saiba que dentro de cada um de nós, há uma limitação espacial, e o acúmulo… o excesso… irá propulsionar um caos interior…

Antes parecer louco gritando, do que ser insano calado!

@leylanacronica

Não durma antes de sonhar!!!

Ah!
Suspiro fundo e indago…
O que seria de nós, reles mortais desolados, desacreditados, desiludidos se não fossem nossos sonhos?
Sonho é como alimento da alma vazia… Inspiração de poeta sem palavra…
Sonhe, Sonhe, Sonhe!
Meus sonhos… Meu combustível! Eles me mantém em pé, firme, forte e perseverante…
São palavras repetidas como quaisquer outras, nem por isso deixam de ser palavras válidas.
Não existe uma conquista que não tenha sido originada de um sonho, ainda que maluco! É preciso sonhar para querer buscar! Acredito até que o sonho nada mais é do que o rascunho da realidade, o ensaio do real… um prenúncio…
Então não durma para sonhar… Sonhe antes de dormir, daí então durma, descanse e acorde para ir atrás do seu sonho…

NÃO VÁ DORMIR ANTES DE SONHAR!

Permitir-se!

Tem sempre aquela hora, minuto ou instante da vida, em que você sente um frio porque sabe que grandes mudanças estão chegando!

É meio embaraçosa a sensação de não saber o que vem depois. Um certo medo de encarar o desconhecido. É como andar no escuro em uma casa desconhecida. Você não está ambientado, tudo é confuso, as mãos não encontram o interruptor e os pés esbarram nos móveis.
Mesmo em meio a estranhezas, medos, receios e outros afins, eu acredito que as mudanças sempre podem ser boas! Sempre são novas chances de recomeçar! Se há erros, corrigi-los; se há medos, enfrentá-los; se há dúvidas, saná-lás!
A vida é circular na minha opinião, quer dizer… Ela é cíclica, circular não! Círculos param no mesmo lugar que começaram, mas quando ela é cíclica ela dá voltas e voltas, mas é um movimento progressivo.
Hoje eu sei que sentir medo não é sinônimo de fraqueza, nem demonstração da minha fragilidade. Sentir medo é humano! Saber canalizar essas emoções de maneira construtiva é que vai fazendo a diferença dia a dia. É transformar o sensacional, o sobrenatural, o extraordinário… Como diria Che Guevara: “ Quanto o extraordinário se torna cotidiano é a revolução”. Nós não falamos aqui de nenhuma revolução armada… mas serve de exemplo!
Acordar, levantar a cabeça e sorrir pro dia, porque antes dar um passo para frente e se arriscar a cair e poder levantar, do que ficar a vida toda inerte a pensar no COMO TERIA SIDO SE!
E é isso aí… Hoje eu acordei assim!

Dia da Crítica, do Crítico e de Criticar.

Na verdade… Eu nem sei que dia é hoje, mas gostaria de homenagear um velho amigo. Um pensador, um idealista, um visionário… Fernando do Valle da Fonseca… Tem alguns anos que a gente não se esbarra para trocar umas idéias! É complicado falar de alguém como “Fê”, vou deixar então que as suas próprias palavras o descrevam.

 Entre críticos e críticos 

Critico, existe crítico pra tudo
Critico pra criticar os críticos!
Crítico para momentos críticos
Críticos que criticam o outro por tentar ter um pouco de senso,
Senso crítico!

Criticam-nos o tempo todo
Criticamos o tempo todo
Com olhares, em pensamentos.

Criticamos pelas críticas dos outros
Sem o mínimo senso, criticamos.
Somos críticos por natureza e até dela criticamos
Somos críticos de críticas compradas
Alimentado por uma voraz vontade de criticar
Alimento dado a nós a todo o momento em banquetes nos telejornais
Em bancas de revistas
Mas os pratos não costumam variar muito, já que o menu e sempre o mesmo.

E de tão “críticos” que somos esquecemos de criticar o conteúdo nutritivo de nossa “alimentação”
E quando ousamos criticar o “pão nosso de cada dia”
Somos criticados e exilados para terra dos críticos

Mas talvez lá,  forçado a um “regime” e buscando outro tipo de “alimentação”
E no cardápio grandes porções de senso com pitadas de autocrítica
Não deixaremos de ser críticos, pois como dito, criticar esta no nosso sangue.

Mais antes de simplesmente sermos críticos.
Teremos nos alimentados pelo senso, que não é tão saboroso e bonito quando o cardápio da terra dos críticos mais o valor nutricional nesse momento têm mais valor.
Ai sim até poderemos “produzir nosso próprio alimento”
Porque com ou sem senso crítico
De crítico e louco todos nós temos um pouco.

Por Fernando do Valle.